Família

img0061_1
Seus pais, João Boeing e Josephina Effting Boeing; seus avós paternos, Henrique Boeing e Anna Rocha, e, maternos, Antônio Effting e Joanna Pottmaier. Uma família de sete filhos legítimos e dois adotivos. Em família, falavam só o alemão.

O pai era uma pessoa profundamente religiosa, de missa diária. A mãe era muito devota de Nossa Senhora e de São José. Foi nesse ambiente que Aloísio desenvolveu a sua vida e personalidade na infância: num lar de pais piedosos e acolhedores, que partilhavam o que tinham com os mais necessitados. No seu coração ficou gravado o modo de ser e de viver eucaristicamente de seus pais. Eles recebiam Jesus na Eucaristia com freqüência e viviam, na prática, numa solidariedade efetiva.

O registro civil de nascimento foi feito pelo pai, na Comarca de Imaruí, município de São Martinho, Estado de  Santa Catarina, sendo oficial de justiça Maria de Oliveira Sá, no dia 1º. de abril de 1914, sem testemunhas; lavrado no Livro A-3, folhas 38v, sob número de ordem 170.

Em seguida, nasceu Antônio, casado com Leopoldina Rech. Este casal ficou morando em Vargem do Cedro, na residência dos pais e tiveram dez filhos. Um deles é Sacerdote – Padre João Boeing, scj, que reside em Corupá e é pároco da paróquia Sâo José. Outros filhos chamavam-se: Adelaide, casada com Georg Helmann, residentes em Vargem do Cedro; tiveram onze filhos, três deles se tornaram sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus: Padre José João (egresso), Padre Francisco Helmann (falecido) e Padre Gabriel Helmann (egresso); Alzira, casada com Arno Steiner, tem oito filhos, moram em São Martinho;  Maria, casada com Francisco Helmann, tem sete filhos e reside em Vargem do Cedro; Águeda, que foi chamada por Deus a ser religiosa, com o nome de  Irmã Serena, da Congregação das Irmãs Franciscanas de São José, hoje mora em Angelina (SC); ela foi Madre Geral da sua Congregação, morando na Holanda; Henrique, que nasceu no dia 02 de setembro de 1925, foi ordenado sacerdote dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, no dia 08 de dezembro de 1953, e faleceu de doença, no dia 11 de janeiro de 1997, em Jaraguá do Sul. Além destes sete, adotaram mais dois filhos: João, residindo atualmente no Paraná e Maria Verônica Boeing Junklaus, viúva, residente em Balneário  Barra do Sul.

Sua família gostava e gosta muito de cantar. Onde se reúnem, já fazem um coral para cantar cantos alemães e outros folclóricos. O próprio Aloísio levava essa marca familiar e gostava muito quando se cantava nos recreios e viagens.