Estudos

Durante o tempo de estudos no seminário, quando chegava em casa, nas férias, gostava de contar histórias aos seus irmãos. Iam todos para a roça; ele sentava numa pedra ou monte mais alto e, enquanto os outros trabalhavam, ele contava histórias.
As etapas de sua formação deram-se basicamente em Brusque e Taubaté. Em Brusque, completou o Ensino Fundamental e fez o Ensino Médio, de 1925 a 1931, na Escola Apostólica SCJ.  Em 1932, o seminário foi transferido para Corupá. Ali estudou um ano. Tornou-se postulante em 15 de outubro de 1932. Voltou para Brusque, no ano  seguinte, para fazer o noviciado, concluído em 15 de janeiro de 1934. O seu Mestre de Noviços foi o Padre Lourenço Foxius, natural de Luxemburgo. Fez a primeira profissão religiosa em Brusque, no dia 16 de janeiro de 1934.
Realizou os estudos de Filosofia, em Brusque, nos anos de 1934 e 1935. Em seguida, por dois anos, de 1936 a 1937, foi professor no seminário de Corupá. Sempre gostou muito de ler. Leu centenas de livros da biblioteca do seminário. Possuía uma excelente memória. Gostava muito de Geografia e História. Conhecia muito bem os acidentes geográficos mais importantes do mundo, a população dos países e suas características. Lembrava com facilidade o nome de quase todos os países e capitais do mundo. Ilustrava muito as suas homilias com a vida e exemplo de santos.
Os estudos de Teologia foram feitos em Taubaté (SP), nos anos de 1938 até 1941. Foi um tempo de muito empenho, esforço e atividades pastorais.  Durante esse período, emitiu os votos perpétuos na capela do Convento Sagrado Coração de Jesus, em Taubaté, no dia 16 de janeiro de 1938. No mesmo ano, no dia 02 de setembro, recebeu o Ministério da Palavra e primeiras ordens menores. Tornou-se Ministro do Altar, recebendo, também, as segundas ordens menores, no dia 08 de dezembro de 1939. Foi ordenado diácono no dia 10 de março de 1940, tendo como bispo ordenante D. André Arcoverde de Albuquerque Cavalcante, Bispo Diocesano de Taubaté. Nessa mesma cidade do Vale do Paraíba, foi também ordenado Presbítero em 1940, pelas mãos do mesmo bispo, no dia 1º. de dezembro, com mais nove colegas: Padres Frederico Winkelmann, Francisco Kunitz, Gregório Westrupp, Bernardo Köwner, Fernando Südbeck, Frederico Blöch, Afonso Kürpick, Tarcísio Rauchholz, Carlos Enderlin e o saudoso Padre Antônio Echelmeyer.
A cerimônia ocorreu na Catedral, a uns cinco quilômetros do chamado Conventinho de onde dez ordenandos partiram a pé. Era muito quente, chegaram ao convento, depois da ordenação, mais ou menos, às 13h., fatigados pela sede, fome e cansaço do caminho percorrido mais uma vez a pé. E não houve grandes festas naquele dia, pois a festa seria na sua cidade natal.  Depois da ordenação sacerdotal, ainda ficou um ano em Taubaté, completando os estudos.