Por: Sônia Pillon | 27/10/2017

O processo de beatificação do padre Aloísio Boeing, aberto oficialmente em 17 de maio de 2013, em sua fase diocesana, ingressa em uma nova etapa. A partir da entrega de cerca de 800 páginas de entrevistas com pessoas que testemunharam graças alcançadas, traduzidas para o italiano e entregues ao postulador, Paolo Villota, a expectativa é que em 2018 o Servo de Deus Aloísio Boeing passe a ser Venerável. A revelação é da responsável pela documentação do processo de beatificação, Irmã Edena Bittencourt, ligada à Paróquia Nossa Senhora do Rosário, em Nereu Ramos.

Segundo ela, essa documentação foi encaminhada pessoalmente ao postulador no dia 27 de setembro, durante o 5º Encontro dos Postuladores, que aconteceu na Estância Ribeirão Grande e reuniu 45 participantes, representantes de 22 causas em andamento no Brasil. O encontro aconteceu de 25 a 28 de setembro, e a documentação será encaminhada à Congregação da Causa dos Santos.

As 800 páginas traduzidas integram o dossiê que totaliza 1.200 páginas em português, já enviadas a Roma, em 17 de março de 2015. “São entrevistas sigilosas, concedidas por cardeais, outros religiosos e leigos”, esclarece a irmã. Explica que desde 2015, uma lei do Vaticano passou a exigir a tradução dos documentos. A Confederação dos Bispos do Brasil (CNBB) chegou a tentar a revogação dessa lei, mas a determinação foi mantida.

Etapas até se tornar santo

De acordo com a Igreja Católica, para ser Venerável é preciso a comprovação das virtudes heroicas, e então será feita uma biografia documentada. Irmã Edena explica que a partir daí, para alcançar a condição de Beato, é exigida a comprovação de um milagre. “Existem três possíveis milagres que estão sendo estudados e precisam do testemunho de médicos”, observa. Já para ser Santo será necessária a comprovação de mais um novo milagre.

Vida dedicada ao sacerdócio

Nascido em 24 de dezembro de 1913, padre Aloísio Boeig faleceu em 17 de abril de 2006, aos 92 anos. Atuou como professor e diretor espiritual no Seminário de Corupá por nove anos e por 24 anos foi mestre de noviços, no Noviciado da Barra do Rio Cerro. Em 1976, saiu do Noviciado e depois passou por Pomerode e Brusque. Chegou à igreja Nossa Senhora em 1984, onde permaneceu por 23 anos. Se destacou por prestar atendimento individual aos fiéis: “Ele acolhia, aconselhava e abençoava”, resume irmã Edena Bittencourt.

Todos os meses, sempre no dia 17, são realizadas missas pela beatificação às 15h e às 20h, e às 9h30, 15h e 19h, quando o dia transcorre aos domingos. “Recebemos, em média, de 1.200 a 1.400 pessoas nas missas desses dias”, atesta a religiosa. “Além disso, diariamente recebemos visitas de muitas pessoas na paróquia”, assinala.

Instituto, Casa de Acolhimento e trabalhos sociais

O início das atividades do Instituto Aloísio Boeig começou ao término da fase diocesana do processo de beatificação, em março de 2015, com a intenção de angariar recursos para esse fim, provenientes de sócios e benfeitores. Outra atribuição do Instituto é patrocinar a Casa de Acolhida dos Peregrinos – Centro Shalom, destinada a receber devotos de outras cidades, com 40 vagas, geralmente aos finais de semana e feriados.

Ainda de acordo com a Irmã Edena Bottencourt, o estatuto da instituição prevê trabalhos sociais, que estão ocorrendo através de doações de alimentos e roupas para pessoas carentes. Mais informações no www.padrealoisio.org.br nas páginas “Aloísio Boeing” e “Servo de Deus Padre Aloísio Boeing” do Facebook.